Visitantes do jornal Na Boca do Povo online

31 de agosto de 2006

Gustavo Prandini é recebido de braços abertos por São Gonçalo


O único candidato a deputado federal que é verdadeiramente da região, Gustavo Prandini, visitou no sábado 26 de Agosto o município de São Gonçalo do Rio Abaixo. Na oportunidade, o candidato se encontrou com lideranças e andou pela Cidade, que o recebeu de forma positiva.
Gustavo Prandini conversou com comerciantes, feirantes, donas-de-casa, estudantes, ou seja, com o povo, que tanto precisa de melhoria na qualidade de vida.
Aproveitando a visita, Gustavo observou a capacidade que São Gonçalo tem em crescer caso um candidato da região vença para federal. “São Gonçalo é uma cidade que está se desenvolvendo, mas a população merece que a gente trabalhe mais por eles. Essa é minha proposta, muito trabalho pelo município”, afirmou o candidato.
Gustavo Prandini precisa de cerca de 31 mil votos para representar a região em Brasília, o que é totalmente possível com a união das cidades vizinhas. Mais informações sobre o candidato podem ser encontradas na internet, através do site: www.gustavoprandini4346.can.br.

Legenda: O candidato Gustavo Prandini marca presença, no corpo-a-corpo com o povo são-gonçalense.

30 de agosto de 2006

Colunista Jaine Resende com o espaço fique de bem com o planeta.


A floresta da Amazônia "pode transformar-se em deserto" e isto
pode acelerar o aquecimento global com "incalculáveis conseqüências", declaram novas pesquisas.

A vasta floresta da Amazônia está a ponto de se tornar em um deserto, com catastróficas conseqüências para o clima do mundo todo. É o que sugerem
novas pesquisas. E o processo, que seria irreversível, pode começar já no
próximo ano. Estudos, realizados na Amazônia concluíram que a floresta não pode agüentar mais que dois outros anos consecutivos de seca sem entrar em colapso. Cientistas dizem que isto expandiria a seca para o hemisfério norte, incluindo a Grã-Bretanha, o que pode acelerar decisivamente o aquecimento global, deixando fora de controle um processo que pode redundar em um mundo inabitável. Estas notícias alarmantes chegam em plena onda de calor que se abate sobre a Grã-Bretanha e em boa parte da Europa e dos EUA.
(mudança climática).

Conforme reportado nas páginas a Amazônia está agora enfrentando seu segundo ano sucessivo de seca, o que leva à
possibilidade de que ela possa começar a morrer no próximo ano. A imensa
floresta contém 90 bilhões de toneladas de carbono, o suficiente para
incrementar a taxa de aquecimento global em 50%. cientistas prevê
"mega-incêndios" rapidamente por toda a floresta. Com o fim das árvores,
o solo será transformado em deserto pela ação do sol.

Toda essa transformação é a forma que a natureza está encontrando pra responder aos nossos atos.
O aumento no consumo de energia, água, minerais e elementos da biodiversidade vêm causando sérios problemas ambientais, como a poluição da água e do ar, a contaminação e o desgaste do solo, o desaparecimento de espécies animais e vegetais e as mudanças climáticas. Para tentar enfrentar estes problemas surgiram muitas propostas de política ambiental, como consumo verde, consciente, ético, responsável ou sustentável. Mas o que significam estas expressões? E o que elas têm a ver com o tema cidadania?

Aspectos da sociedade de consumo e da relação entre cidadania e consumo.

O termo sociedade de consumo é uma das inúmeras tentativas de compreensão das mudanças que vêm ocorrendo nas sociedades. Refere-se à importância que o consumo tem ganhado na formação e fortalecimento das nossas identidades e na construção das relações sociais. Assim, o nível e o estilo de consumo se tornam a principal fonte de identidade cultural, de participação na vida coletiva, de aceitação em um grupo e de distinção com os demais. Podemos chamar de consumismo a expansão da cultura do “ter” em detrimento da cultura do “ser”.

O consumo invade diversas esferas da vida social, econômica, cultural e política. Neste processo, os serviços públicos, as relações sociais, a natureza, o tempo e o próprio corpo humano se transformam em mercadorias.

Até mesmo a política virou uma questão de mercado, comercializando a participação cívica e misturando valores comerciais com valores cívicos. Isto seria uma “vitória” do consumo como um fim em si mesmo. O consumo passa a ser encarado, mais do que um direito ou um prazer, como um dever do cidadão. Seja como for, o consumismo, vem se espalhando rapidamente para distintas regiões do planeta, assumindo formas diversas.

O século XXI está sendo marcado por profundas inovações que afetam nossas experiências de consumo, como a globalização, o desenvolvimento de novas tecnologias de comunicação, o comércio através da internet, a biotecnologia, o debate ambientalista etc. Ao mesmo tempo, novos tipos de protestos e reações ao consumismo EXIGINDO, uma nova postura do consumidor.

O consumo se transformou em uma compulsão e um vício, estimulados pelas forças do mercado, da moda e da propaganda. A sociedade de consumo produz carências e desejos (materiais e simbólicos) incessantemente. Os indivíduos passam a ser reconhecidos, avaliados e julgados por aquilo que consomem aquilo que vestem ou calçam, pelo carro e pelo telefone celular que exibem em público. O próprio indivíduo passa a se auto-avaliar pelo que tem e pelo que consome. Mas é muito difícil estabelecer o limite entre consumo e consumismo, pois a definição de necessidades básicas e supérfluas está intimamente ligada às características culturais da sociedade e do grupo a que pertencemos. O que é básico para uns pode ser supérfluo para outros e vice-versa.

Nesse contexto a felicidade e a qualidade de vida têm sido cada vez mais associadas e reduzidas às conquistas materiais. Isto acaba levando a um ciclo vicioso, em que o indivíduo trabalha para manter e ostentar um nível de consumo, reduzindo o tempo dedicado ao lazer e a outras atividades e relações sociais.

E O PIOR Até mesmo o tempo livre e a felicidade se tornam mercadorias que alimentam este ciclo. Em suas atividades de consumo, os indivíduos acabam agindo centrados em si mesmos, sem se preocupar com as conseqüências de suas escolhas. O cidadão é reduzido ao papel de consumidor, sendo cobrado por uma espécie de “obrigação moral e cívica de consumir”. Mas se nossas identidades se definem também pelo consumo, poderíamos vincular o exercício da cidadania e a participação política às atividades de consumo, já que é nestas atividades que sentimos que pertencemos e que fazemos parte de redes sociais.

“FIQUE ESPERTO”, O consumo é o lugar onde o conflito entre as classes, originados pela participação desigual na estrutura produtiva, ganham continuidade, através da desigualdade na distribuição e apropriação dos bens. Assim, consumir é participar de um cenário de disputas pelo que a sociedade produz e pelos modos de usá-lo.

VEJA SÓ 20% da população mundial, que habita principalmente os países afluentes do hemisfério norte, consome 80% dos recursos naturais e energia do planeta e produz mais de 80% da poluição e da degradação dos ecossistemas. Enquanto isso, 80% da população mundial, que habita principalmente os países pobres do hemisfério sul, fica com apenas 20% dos recursos naturais. Para reduzir essas disparidades sociais, permitindo aos habitantes dos países do sul atingirem o mesmo padrão de consumo material médio de um habitante do norte, seriam necessários, pelo menos, mais dois planetas Terra.

Acidente no Recanto da Cascata

Na Segunda - Feira, dia 28 de Agosto, aconteceu um grave acidente na BR-381, próximo ao Recanto da Cascata em São Gonçalo do Rio Abaixo (MG). O motorista José do Rosário, 40, conduzia um Fiat Strada sentido Belo Horizonte e bateu de frente com uma carreta, placas GOZ-4666, de Formiga (MG). O veículo estava carregado de cal e ia para Serra (ES).
O condutor da carreta, Sebastião da Silva, 52, contou que o Fiat Strada corria muito e, por causa da alta velocidade, não conseguiu fazer a curva, invadindo a contramão. Com a perda de controle, o carro da vítima foi prensado em um barranco pela carreta. O Fiat Strada ficou bastante destruído e a carreta sofreu pequenos danos no pára-choque e eixo dianteiros. O motorista do Fiat foi levado para o Hospital Margarida em estado grave. O motorista da carreta teve apenas ferimentos leves.

27 de agosto de 2006

Deputados discutem financiamento para Escolas Agrícolas

O financiamento público das Escolas Família Agrícola (EFAs) será o assunto discutido nesta quarta-feira (30/8/06), pela Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial, em reunião às 14h30, no Auditório da Assembléia Legislativa de Minas Gerais. Apesar de não serem estabelecimentos da rede pública, as EFAs estão autorizadas a receber recursos do Estado por meio de bolsas de estudo da Secretaria de Estado de Educação, conforme dispõe o Decreto 43.978, de 2005. Além de avaliar os recursos reservados para o programa em 2007, a reunião, requerida pelo deputado Padre João (PT), presidente da comissão, pretende propor a criação de uma Frente Parlamentar Mineira em apoio às Escolas Famílias Agrícolas.

As Escolas Família Agrícola seguem metodologia própria de alfabetização e funcionam com calendário específico, adaptado ao calendário agrícola e às condições de trabalho nos assentamentos. Os alunos passam uma semana na escola e uma semana com os pais. Essa é a denominada pedagogia da alternância, voltada especificamente para a educação dos jovens da zona rural, na perspectiva da agricultura familiar. O jovem passa a valorizar aspectos da cultura rural, cultivando a auto-estima e rompendo com preconceitos em relação ao meio rural.

Até o ano passado, estavam instaladas 14 EFAs em Minas Gerais, representadas pela Associação Mineira das Escolas Família Agrícola (Amefa). As escolas contam com o apoio e a parceria de várias entidades, como a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg), Empresa Mineira de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), UFMG, Instituto Marista de Solidariedade (IMS), Associação Internacional dos Movimentos Familiares Rurais (AIMFR), dentre outras.

Modelo surgiu na França

A EFA nasceu em 1935, na França. No Brasil, foi implantada em 1968, a partir do Espírito Santo. Em 1983, no município de Muriaé, Zona da Mata Mineira, teve início o processo de criação da primeira Escola Família mineira, através da iniciativa de um grupo de pessoas vinculadas às Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), com o apoio da prefeitura. Em média, cada escola atende 110 alunos, na sua maioria filhos de pequenos agricultores, de meeiros, de assalariados agrícolas e de assentados rurais. Em todo o Brasil, as EFAs já formaram mais de 30 mil jovens, dos quais 87% permanecem no meio rural, desenvolvendo seu próprio empreendimento junto a suas famílias ou exercendo profissões e lideranças. Em Minas Gerais, elas já formaram cerca de 1.500 alunos.

Serão convidados a participar da reunião as secretárias de Estado de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena; e de Educação, Vanessa Guimarães Pinto; o responsável pelas Escolas Família Agrícola no Ministério do Desenvolvimento Agrário, José Maria Barbosa de Jesus; o coordenador do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Argileu Martins; o arcebispo de Mariana, Dom Luciano Mendes de Almeida; o diretor geral do Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste e Minas Gerais (Idene), Walter Adão; a presidente da Associação Mineira das Escolas Família Agrícola (Amefa), Ervina Teixeira Cruz; e o coordenador da Escola Família Agrícola de Acaiaca, Gilmar de Souza Oliveira.

Comissões avaliam projeto que muda o Pró-Floresta

A proposta de mudança da regulamentação do Fundo Pró-Floresta será o tema de reunião conjunta, nesta quarta-feira (30/8/06), das comissões do Meio Ambiente e Recursos Naturais e Política Agropecuária e Agroindustrial da Assembléia Legislativa de Minas Gerais. A reunião, que está programada para as 9h45, no Auditório da Assembléia, foi solicitada pelos presidentes das duas comissões, os deputados Laudelino Augusto (PT) e Padre João (PT), respectivamente.

Criado em 1994, o Fundo Pró-Floresta tem o objetivo de estimular o desenvolvimento da atividade florestal destinada a fornecer matéria-prima para uso industrial e doméstico, e voltada à preservação do meio ambiente. Atualmente, aguarda análise da Comissão de Meio Ambiente o Projeto de Lei 2.876/05, do governador do Estado, que modifica as regras do fundo e dá outras providências. A proposta visa prorrogar o prazo de vigência do fundo, e implantar alterações a fim de viabilizar a transferência de sua gestão da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão para a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Justificativa - A mudança de gestão, segundo o governo, se justifica pelo fato de a Secretaria de Agricultura possuir missão fomentadora, que será realizada por intermédio da criação de programas especiais de apoio e fomento aos produtores rurais para atividades agrosilvopastoris integradas na concepção da exploração econômica e sustentável. A mensagem do governador acrescenta que, com a mudança, torna-se possível a utilização de recursos não reembolsáveis para elaboração, acompanhamento e avaliação de projetos, no montante máximo de 1% do valor do projeto.

Estão convidados a participar do debate o secretário de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Carlos Carvalho; o secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marco Antônio da Cunha; o presidente do BDMG, Romeu Scarioli; o presidente da Empresa Mineira de Assistência Técnica e Extesão Rural (Emater), José Silva Soares; a representante do Grupo de Estudos em Temáticas Ambientais da UFMG, Andréa Zhouri; e o assessor da Federação dos Trabalhadores em Agricultura Familiar de Minas Gerais (Fetraf), Ronaldo Cardoso.

17 de agosto de 2006

Colunista Jaine Resende


Alimentação saudável: garantia de boa saúde
A obesidade é maior do que a desnutrição

Pesquisa sobre hábitos alimentares do brasileiro, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelou que o percentual de pessoas com excesso de peso no Brasil já é dez vezes maior do que o das desnutridas.
A alteração dos ponteiros da balança é conseqüência do grande aumento do consumo de gorduras e de açúcares pelo brasileiro, especialmente dos refrigerantes e das refeições de massa.
A obesidade já é considerada doença tanto pela Organização Mundial de Saúde (OMS) quanto pelo governo brasileiro.
A obesidade está relacionada a problemas respiratórios e no aparelho locomotor, distúrbios de sono, depressão, a certos tipos de câncer, ao colesterol alto e ao aumento da pressão arterial, que podem levar a distúrbios cardiovasculares mais graves, e a diabetes tipo 02. O tratamento inclui reeducação alimentar
O tratamento para a obesidade e o sobrepeso pode ser feito pelo Sistema Único de Saúde (SUS),


Dicas para uma alimentação saudável

• coma frutas, verduras e legume, evite gorduras e frituras.
• evite longos períodos em jejum fazendo ao menos três refeições e um lanche por dia
• coma com calma, mastigando bem os alimentos • evite refrigerantes, doces e alimentos calóricos, como biscoitos, salgados e bolos • beba bastante água, no mínimo oito copos de água por dia • pratique atividade física regularmente

Higiene e segurança dos alimentos
Se não forem manipulados corretamente, com higiene e segurança, os alimentos oferecem riscos à saúde, principalmente às crianças, idosos, gestantes e pessoas com baixa resistência imunológica.

As principais doenças de origem alimentar – infecções e toxiinfecções
– são causadas por fungos, vírus e bactérias. Esses microrganismos nem sempre alteram a cor ou o cheiro dos alimentos, tampouco podem ser vistos a olho nu. Nos últimos cinco anos, o Brasil registrou 749 surtos de infecção por salmonela.
Desse total, 277 foram causados pelo consumo de ovos ou maionese caseira contaminada.
Dores no estômago, náuseas, mal-estar e febre, que podem durar alguns dias ou evoluir para um quadro mais grave, são indícios de doenças causadas pela ingestão de alimentos contaminados.
Na presença de algum desses sinais, é necessário procurar atendimento médico.
Em casa, o hábito de lavar as mãos e ter cuidados básicos na preparação e conservação dos alimentos pode reduzir drasticamente o risco de contaminação. Já agricultores, fabricantes, distribuidores, transportadores, comerciantes e ambulantes devem adotar boas práticas nos serviços. Essas medidas preventivas garantem segurança e qualidade dos alimentos.


Dicas para comprar e consumir melhor..

• adquira produtos de boa qualidade, com a embalagem intacta e com procedência e registro nos órgãos oficiais, como os ministérios da Agricultura e da Saúde e o Serviço de Inspeção Federal (SIF). Devem constar do rótulo as datas de fabricação e de validade, nome e endereço do produtor, registro do produto, suas características, composição, instruções sobre conservação e utilização do alimento • observe as geladeiras e os congeladores dos estabelecimentos. Eles não podem estar abarrotados e devem ter termômetros que permitam a leitura das temperaturas, • verifique se os alimentos não estão expostos ao calor, à umidade ou se estão próximos de outros produtos que possam comprometer a sua qualidade.
É muito importante também que • os alimentos perecíveis devem ser comprados por último, rapidamente levados para casa e colocados em refrigeração • os alimentos prontos que são consumidos quentes devem estar armazenados e expostos em temperaturas superiores a 65ºC • os funcionários devem usar uniformes, manter boa higiene pessoal e, ao manipular os alimentos, usar touca para cabelo, avental, luvas e lavar freqüentemente as mãos.


E Antes de ir à mesa
• procure saber a origem dos produtos. Os alimentos orgânicos certificados não levam agrotóxicos• prefira as frutas e verduras da época e as produzidas na região de consumo • lave bem as frutas e verduras em água corrente • descasque sempre as frutas e verduras para que os resíduos presentes na casca sejam eliminados • retire as folhas externas das verduras porque, em geral, elas concentram mais agrotóxicos • lavar e descascar os alimentos ou deixá-los de molho na água com vinagre, bicarbonato de sódio ou água sanitária não garante a eliminação total dos resíduos de agrotóxicos nos alimentos.


Essas medidas ajudam a eliminar impurezas e bactérias • cozinhe bem os alimentos. A temperatura deve chegar a pelo menos 70ºC em toda a massa do alimento, interna e externamente. • lave as mãos antes de iniciar o preparo dos alimentos, após qualquer interrupção e ao manipular alimentos diferentes. Em caso de cortes ou feridas das mãos, você deve cobri-los antes de entrar em contato com os alimentos. Lave a tábua de corte de alimentos após cada uso • mantenha higienizados todos os equipamentos, superfícies e utensílios da cozinha.

Atenção – Antes de consumir alimentos em bares, restaurantes e cantinas, verifique as condições de higiene do local e dos funcionários e se os alimentos estão expostos corretamente e na temperatura ideal. Se forem levar sobras para casa, transporte-as em embalagens térmicas. Ao chegar à residência, coloque o alimento diretamente na geladeira. Exija nota fiscal. Ela é fundamental para formalizar reclamações.


O consumidor deve denunciar irregularidades

Cantinas, restaurantes, padarias, bufês, cozinhas industriais ou institucionais devem seguir as normas de boas práticas para serviços de alimentação que constam da Resolução 216, de 2004, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
A norma define os procedimentos que devem ser seguidos na hora de manipular, preparar, acondicionar, armazenar, transportar e expor à venda os alimentos. Também estabelece critérios para garantir higiene nos equipamentos, instalações e utensílios; controlar a qualidade da água; prevenir doenças e pragas; manejar o lixo; capacitar profissionais; e supervisionar a higiene e a saúde dos que trabalha com alimentos.
Quem não seguir as regras estará sujeito a notificações e multas, que podem variar de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão. Os estabelecimentos estão sujeitos ainda a ser interditados pela vigilância sanitária, caso estejam em desacordo com a legislação ou ofereçam riscos à saúde das pessoas.
Cabe aos órgãos de vigilância sanitária dos municípios, estados e Distrito Federal fiscalizar os estabelecimentos comerciais e os alimentos neles vendidos. A Anvisa é responsável pela fiscalização dos portos, aeroportos e áreas fronteiriças.
Denúncias de irregularidades – como higiene precária dos estabelecimentos, alimentos estragados ou vencidos – devem ser feitas ao serviço de vigilância sanitária e ao Procon do município, para a reparação ou o ressarcimento de eventuais prejuízos. Também é recomendável que o consumidor informe o problema ao produtor, fabricante ou vendedor. O Código de Defesa do Consumidor traz os direitos dos clientes no comércio e nos serviços da área de alimentos. A exigência de nota fiscal é fundamental para formalizar reclamações. O código possibilita ainda a visita do consumidor às cozinhas de lanchonetes e restaurantes. FIQUE ESPERTO...


SEJA UM CONSUMIDOR RESPONSAVEL.
A maioria das coisas que compramos hoje vem embalada em plástico, vidro, metal, papel... No final, essas embalagens acabam indo para o lixo, pois na verdade o que nos interessa é o produto em si que compramos. Ao comprar qualquer produto, passe a prestar atenção na quantidade de lixo na qual aquele produto vai se transformar. Procure então comprar produtos que gerem menos lixo, que não tenham tantas embalagens. Você estará ajudando o meio ambiente ao gerar menos lixo, e também o seu bolso, pois o custo de toda aquela embalagem que vai para o lixo está embutido no preço do produto.
Nunca jogue lixo nas ruas, rios, lagos, trilhas, cachoeiras... Ou onde quer que seja. Todo lixo produzido deve ser jogado em tambores de lixo próprios, de preferência nos de coleta seletiva. Se você não tiver um tambor de lixo por perto, guarde seu lixo com você até encontrar um. Jogar lixo no chão é um ato de desrespeito com a natureza e sinal de grande falta de educação.

EU POSSO VOCE PODE, NÓS PODEMOS!
Mas: QUAL É O SEU JEITO?
É só procurar uma escola, um posto de saúde, uma ONG, que você vai saber qual é o seu jeito, em que área você pode ajudar. Acredite, o melhor é que você pode participar aí, no seu bairro, onde você vive. Juntos - governos, empresas, organizações sociais e cidadãos como você - nós podemos mudar a nossa rua, a nossa comunidade, o nosso país. Eu posso, você pode, nós podemos mudar o mundo. Participe, discuta, faça!
Garantir a sustentabilidade ambiental
VEJA SÓ!!! Um bilhão de pessoas ainda não têm acesso a água potável. Ao longo dos anos 90, no entanto, quase o mesmo número de pessoas ganhou acesso à água bem como ao saneamento básico. A água e o saneamento são dois fatores ambientais chaves para a qualidade da vida humana. Ambos fazem parte de um amplo leque de recursos naturais que compõem o nosso meio ambiente - florestas, fontes energéticas, o ar e a biodiversidade - e de cuja proteção depende nós e muitas outras criaturas neste planeta. Ações de Voluntariado na comunidade com vistas à educação e sensibilização da população, com interferência direta nas associações e órgão representativos, escolas, parques, reservas,
A Declaração do Milênio foi aprovada pelas Nações Unidas em setembro de 2000. O Brasil, em conjunto com os países-membros da ONU, assinou o pacto e estabeleceu um compromisso compartilhado com a sustentabilidade do Planeta.
Os Objetivos do Milênio são um conjunto de 8 macro-objetivos, a serem atingidos pelos países até o ano de 2015, por meio de ações concretas dos governos e da sociedade.
São a agenda do Planeta, a agenda da Humanidade. São a agenda do Brasil. A agenda de cada um de nós.

Jaine Resende.

Caravanas do Vale Comunidade-Rede Cultura chegam a Santa Bárbara no domingo

A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) está presente em vários projetos que visam melhorias no desenvolvimento e no potencial cultural das regiões onde atua. Um desses projetos é o Vale Comunidade-Rede Cultura, existente desde 2004, que promove a capacitação de empreendedores culturais, buscando a geração de renda e a divulgação da cultura regional por meio de eventos culturais e artísticos.

Durante o período de 16 a 30 de julho, estão programadas as Caravanas do Rede Cultura, que serão realizadas em sete cidades do estado de Minas Gerais. São eventos que contam com diversas atividades culturais como exposições, música e teatro.

O Rede Cultura mostra a importância da presença da CVRD cada vez mais próxima às comunidades onde atua, não só com o desenvolvimento, de forma responsável, de suas atividades de mineração, mas também com a implementação de projetos e ações que utilizam a valorização da cultura regional, preservação do patrimônio histórico como forma de reforço de conceitos de cidadania e geração de renda para as pessoas.

Com o objetivo de valorizar a cultura local e gerar renda, por meio da organização das práticas de gestão cultural, o Rede Cultura desenvolve seu trabalho em rede, para que haja um intercâmbio de experiências entre os participantes de todas as cidades envolvidas, visando formar potenciais empreendedores culturais, para que eles sejam capazes de estimular mecanismos para a melhoria artística de seus produtos e escoamento de sua produção, ampliando as perspectivas de aumento de renda e desenvolvimento artístico e gerencial.

Em Minas Gerais, o projeto é realizado em 14 localidades próximas às áreas de atuação da Vale: São Gonçalo do Rio Abaixo, Rio Piracicaba, Barão de Cocais, Santa Bárbara, Catas Altas, Santa Rita Durão, Bento Rodrigues, Antônio Pereira, Morro D’Água Quente, Mariana, Congonhas, Itabira, Belo Vale e Brumadinho.

Os resultados dos últimos dois anos já são visíveis. Foram realizadas 57 oficinas de artesanato e cultura e apresentação de 61 shows em teatros e praças públicas. A Oficina de Formatação de Projetos foi realizada em todas as cidades onde o programa está implementado. Como resultado dessa oficina, em 2005, foram inscritos 12 projetos na Lei Estadual de Incentivo à Cultura, dos quais quatro foram aprovados, o que resultou na captação de R$ 170 mil. Já em 2004, foram inscritos 17 projetos na Lei, com a captação de R$ 250 mil.

Confira a programação da Caravana em Santa Bárbara:

Santa Bárbara
Data: 20/08/06 - Domingo
Local: Praça Pio XII

16h –Feira de artesanato

18h – Apresentação de Teatro “O Aleijadinho de Ouro Preto”
Criado para ser apresentado tanto em palco italiano como em espaços alternativos, "O Aleijadinho de Ouro Preto" é um espetáculo teatral em homenagem a Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. O texto é baseado em pesquisas biográficas, destacando-se o trabalho de Rodrigo José Ferreira Bretas, contemporâneo do Aleijadinho que entrevistou pessoas que se relacionaram diretamente com o artista. Mesclado à pesquisa histórica surge a poesia de Murilo Mendes, Affonso Ávila, Oswald de Andrade, Henriqueta Lisboa e Carlos Drummond de Andrade.

20h30 – Apresentação do Grupo Viola de Folia
O Grupo Viola de Folia foi criado em 1998 pelo músico Vicente Gomes, com a preocupação de preservar e difundir as raízes da nossa cultura. As folias de reis, os congados, as festas religiosas, os causos e modas de viola, personagens folclóricos, a broa de fubá, o fogão à lenha, o cheiro da terra. Estes são os ingredientes de nossas canções, todas de autoria própria. As cantorias pelas ruas, as roupas e os instrumentos originais nos remontam aos velhos e bons tempos. A formação atual conta com os músicos Vicente (violão), Jorge (viola), Raimundo (rabeca), Heli (contra-baixo acústico), Edivaldo (acordeon), Jaqueline (voz e flauta) e Marcelo Magrão (percussão

21h30 – Apresentação da Banda Art Forró das Gerais
Uma banda diferente que reúne a experiência dos irmãos Wilson “Tupete” e Adão. Já com dois CD´s gravados, o primeiro pela gravadora Paradoxx ainda com o nome de Art Manha das Gerais e o segundo com o nome de Art Forró das Gerais, a banda já participou de diversos programas de tv e rádio, além de participações em grandes shows. Atualmente, a banda é formada por Adão no acordeom e voz, Tupete no violão e voz, Fabiano no acordeom 2, Leidismar na percussão e bateria, Leilamara e Leidislaine no backing vocal, Cleiverson no contrabaixo, além de bailarinos.

Caravanas do Vale Comunidade-Rede Cultura chegam a Barão de Cocais no sábado

A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) está presente em vários projetos que
visam melhorias no desenvolvimento e no potencial cultural das regiões
onde atua. Um desses projetos é o Vale Comunidade-Rede Cultura, existente
desde 2004, que promove a capacitação de empreendedores culturais,
buscando a geração de renda e a divulgação da cultura regional por meio
de eventos culturais e artísticos.

Durante o período de 16 a 30 de julho, estão programadas as Caravanas do
Rede Cultura, que serão realizadas em sete cidades do estado de Minas
Gerais. São eventos que contam com diversas atividades culturais como
exposições, música e teatro.

O Rede Cultura mostra a importância da presença da CVRD cada vez mais
próxima às comunidades onde atua, não só com o desenvolvimento, de forma
responsável, de suas atividades de mineração, mas também com a
implementação de projetos e ações que utilizam a valorização da cultura
regional, preservação do patrimônio histórico como forma de reforço de
conceitos de cidadania e geração de renda para as pessoas.

Com o objetivo de valorizar a cultura local e gerar renda, por meio da
organização das práticas de gestão cultural, o Rede Cultura desenvolve
seu trabalho em rede, para que haja um intercâmbio de experiências entre
os participantes de todas as cidades envolvidas, visando formar
potenciais empreendedores culturais, para que eles sejam capazes de
estimular mecanismos para a melhoria artística de seus produtos e
escoamento de sua produção, ampliando as perspectivas de aumento de renda
e desenvolvimento artístico e gerencial.

Em Minas Gerais, o projeto é realizado em 14 localidades próximas às
áreas de atuação da Vale: São Gonçalo do Rio Abaixo, Rio Piracicaba,
Barão de Cocais, Santa Bárbara, Catas Altas, Santa Rita Durão, Bento
Rodrigues, Antônio Pereira, Morro D’Água Quente, Mariana, Congonhas,
Itabira, Belo Vale e Brumadinho.

Os resultados dos últimos dois anos já são visíveis. Foram realizadas 57
oficinas de artesanato e cultura e apresentação de 61 shows em teatros e
praças públicas. A Oficina de Formatação de Projetos foi realizada em
todas as cidades onde o programa está implementado. Como resultado dessa
oficina, em 2005, foram inscritos 12 projetos na Lei Estadual de
Incentivo à Cultura, dos quais quatro foram aprovados, o que resultou na
captação de R$ 170 mil. Já em 2004, foram inscritos 17 projetos na Lei,
com a captação de R$ 250 mil.

Confira a programação da Caravana em Barão de Cocais:

Barão de Cocais
Data: 19/08/06 - Sábado
Local: Praça Nossa Senhora Aparecida

16h - Feira de artesanato

19h - Apresentação de Teatro – Xinxin e Juaneto
Palhaços, cômicos, humoristas, bufões. Juntos apresentam “Xinxin &
Juaneto”, um espetáculo de quadros cômicos, elaborados a partir de
improvisações inspiradas em números clássicos do mundo do circo.

21h – Apresentação da Banda Amigos do Forró
A Banda Amigos do Forró surgiu em 2002, tendo como base apenas três
componentes, tocando em festas da comunidade. Hoje, a banda com com sete
integrantes toca vários ritmos de forró, desde o pé de serra até os mais
modernos, como o forró universitário.

22h - Apresentação da Banda Toque da Zabumba
A banda surgiu em 2001, em São Gonçalo do Rio Abaixo, formada por amigos
de escola, reunidos pela alegria de tocar forró. A formação atual conta
com seis músicos. A inspiração do nome vem do estilo preferido da banda,
o forró pé de serra, em que a zabumba é o instrumento principal.

16 de agosto de 2006

Prefeito Nozinho apresenta obras para imprensa

Na terça-feira, 1º de agosto, o prefeito Nozinho reuniu a imprensa regional para apresentar as principais obras realizadas em um ano e sete meses de sua administração. O prefeito Nozinho acompanhado pela sua equipe de governo, mostrou as mudanças realizadas pela administração, durante um tour pela cidade.
Começando pela Praça de Esportes Raimundo Benício, um das cinco quadras já inauguradas,duas ainda serão construídas, sendo um delas no bairro Patrimônio. Ainda no bairro Recreio vimos a Casa onde funciona um dos PSFs rural e visitamos a Escola Municipal Recreio, que esta sendo reformada, onde o prefeito Nozinho, juntamente com a Secretaria de Educação Glória de Fátima Pessoa, fizeram a entrega do novo uniforme escolar aos alunos. Glorinha falou sobre projetos já realizados pelo prefeito Nozinho na educação. Ela destacou o “Café da manhã na escola”, merenda orientada por uma nutricionista, EJA (Educação para Jovens e Adultos) com mais de 300 alunos, a Casa Do Professor, o apoio para a vinda da Faculdade para a cidade e a “menina dos olhos do prefeito Nozinho” que é a construção da escola integral.
Segundo o Secretario Municipal de Saúde, José Maria de Oliveira, muito já foi feito na área de Saúde. A cidade hoje possui serviço de Vigilância Sanitária, conta com um prédio próprio para a Secretaria de Saúde, reformou e ampliou três postos de saúde, está construindo outros dois na área rural, e aumentando de um para quatro, as equipes do PSF, ampliação dos serviços realizados no Centro de Saúde Outra novidade relacionada à saúde da cidade é a aquisição de uma unidade móvel para tratamento odontológico. Essa unidade irá atender às microrregiões rurais, principalmente para tratamento clínico das crianças de 0 a 14 anos. A aquisição foi feita através de verba do Governo Federal e dentro de aproximadamente 30 dias estará em funcionamento o Centro Odontológico, com quatro ambulatórios.
Visitamos também: a Caixa d''água onde já funciona a Estação de Tratamento de Água,velório municipal, quase concluído, Centro Cultural, Escola Estadual Desembargador Moreira Dos Santos, onde a prefeitura construí 5 salas de aula, 2 banheiros e sala de vídeo, Prefeitura foi informatizadas,Secretaria de transportes com sua nova frota, Instalações da UNIPAC, A Igreja do Rosário, que está sendo restaurada, Centro de Eventos entre outras.

Assalto ao Posto Recreio em São Gonçalo do Rio Abaixo

Na madrugada do dia 11 de agosto, dois homens armados,aproximaram do caixa do Posto Recreio e anunciou um assalto, levando cerca de R$3.000,00.
Segundo o frentista Jairo Marques da Silva,50, residente no Patrimônio, ele estava junto com seu colega de trabalho, o frentista Marcos Paulo Alves Vieira,19, quando por voltas 4hs, dois homens encapuzados,um deles armado aproximou-se do caixa e anunciou o assalto. Os bandidos levaram cerca de R$3000,00 em dinheiro. Os elementos pularam o muro do lado da borracharia e tomaram rumo ignorado.Os frentistas não souberam descrever características dos autores. A PM realizou rastreamento pela região, mas não lograram êxito. B.O de nº 2050/06.

12 de agosto de 2006

Ponte em obra frustra fuga de bandidos

Na manhã do dia 11 de Agosto, a Polícia Militar de São Gonçalo, prendeu 4 assaltantes,que havia roubado um supermercado no bairro Lages em Bela Vista de Minas.
Por volta das 7:30 hs, os quatro rapazes,portando um pistola.40 com capacidade para 13 tiros e um revólver calibre 38, renderam o proprietário do supermercado e fugiram em um veículo gol cinza, placa GVO-6098. Um policial a paisana que estava no local, avisou a Polícia Militar de João Monlevade, que localizou o veículo próximo ao Cisne Motel, iniciando perseguição, acionou via rádio o Cerco Bloqueio.
A Polícia Militar de São Gonçalo, montou duas viaturas e foram para a BR, próximo ao Belleus. Quando os meliantes viram as viaturas entraram na rua Henriqueta Rubim, com intuito de pegarem a estrada de terra e escapar, mas eles não poderiam contar com a ponte interditada para obras,estando em alta velocidade não conseguiram contornar sentido Patrimônio, batendo no Trailler do Aldo, ao lado da delegacia, momento em que foram rendidos.
Todos eles são de Belo Horizonte.Marcelo Jeannonad dos Santos, 24; Rone Vom Barbosa da Silva, 29; Rafael Alvim de Freitas, 22 e Clayton Alves da Silva, 25. Após a prisão em São Gonçalo, seguiram para Bela Vista onde foi preso o menor J.M.G, 17, residente no bairro Lages, ele é quem passou as informações sobre o Supermercado, segundo ele lá teria R$30.000,00.
O Clayton portava uma PT.40 de propriedade da Polícia Civil, com numeração raspada, mas ainda possui o símbolo da Secretária da Fazenda, provavelmente roubada.
Durante a perseguição o Rafael atirou contra um veículo com família, próximo ao Recanto da Cascata, atingindo o pneu do veículo. As viaturas estavam aproximando e ele achou que o veículo estava fechando eles, ele portava um revólver calibre 38 . Com o Rone Vom foi encontrado R$1552,80.A ocorrência foi encerrada em Rio Piracicaba, os 5 elementos foram autuados em flagrante. Participaram da operação Sgt. Sandro (SGRA), Sgt. Fernandes (JM), Tenente Monteiro, os Cabos Vitolino, Israel, Nelson, Alencar, Lima, Soldados Santos e Glauco, PRV de Barão de Cocais: Cabo Oliveira e soldado Ferreira e Moto Patrulha: Soldado Abrão.

11 de agosto de 2006

Morte na Mina de Brucutu em São Gonçalo do Rio Abaixo


Um grave acidente na Mina de Brucutu, da Companhia Vale do Rio Doce,em São Gonçalo do Rio Abaixo, matou um homem na tarde de segunda-feira, 7 de Agosto. O ajudante da área de montagem, Walisson Oliveira Gonçalves, 19, caiu de uma altura de aproximadamente 20 metros, mas não resistiu e morreu na hora. Ele era recém-contratado e trabalhava na mina há menos de dois meses.
Walisson era funcionário da T&L Comércio Indústria e Serviços Ltda e, de acordo com informações da empresa, o acidente ocorreu no momento em que o ajudante executava atividade de instalação de calhas na junção de dois galpões do almoxarifado da mina.
Em nota, a T&L informou que, antes de iniciar a tarefa, o funcionário foi corretamente orientado e usava todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) necessários. As causas do acidente estão em fase de investigação.

Caravanas do Vale Comunidade-Rede Cultura chegam a São Gonçalo do Rio Abaixo no domingo

A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) está presente em vários projetos que visam melhorias no desenvolvimento e no potencial cultural das regiões onde atua. Um desses projetos é o Vale Comunidade-Rede Cultura, existente desde 2004, que promove a capacitação de empreendedores culturais, buscando a geração de renda e a divulgação da cultura regional por meio de eventos culturais e artísticos.

Durante o período de 16 a 30 de julho, estão programadas as Caravanas do Rede Cultura, que serão realizadas em sete cidades do estado de Minas Gerais. São eventos que contam com diversas atividades culturais como exposições, música e teatro.

O Rede Cultura mostra a importância da presença da CVRD cada vez mais próxima às comunidades onde atua, não só com o desenvolvimento, de forma responsável, de suas atividades de mineração, mas também com a implementação de projetos e ações que utilizam a valorização da cultura regional, preservação do patrimônio histórico como forma de reforço de conceitos de cidadania e geração de renda para as pessoas.

Com o objetivo de valorizar a cultura local e gerar renda, por meio da organização das práticas de gestão cultural, o Rede Cultura desenvolve seu trabalho em rede, para que haja um intercâmbio de experiências entre os participantes de todas as cidades envolvidas, visando formar potenciais empreendedores culturais, para que eles sejam capazes de estimular mecanismos para a melhoria artística de seus produtos e escoamento de sua produção, ampliando as perspectivas de aumento de renda e desenvolvimento artístico e gerencial.

Em Minas Gerais, o projeto é realizado em 14 localidades próximas às áreas de atuação da Vale: São Gonçalo do Rio Abaixo, Rio Piracicaba, Barão de Cocais, Santa Bárbara, Catas Altas, Santa Rita Durão, Bento Rodrigues, Antônio Pereira, Morro D’Água Quente, Mariana, Congonhas, Itabira, Belo Vale e Brumadinho.

Os resultados dos últimos dois anos já são visíveis. Foram realizadas 57 oficinas de artesanato e cultura e apresentação de 61 shows em teatros e praças públicas. A Oficina de Formatação de Projetos foi realizada em todas as cidades onde o programa está implementado. Como resultado dessa oficina, em 2005, foram inscritos 12 projetos na Lei Estadual de Incentivo à Cultura, dos quais quatro foram aprovados, o que resultou na captação de R$ 170 mil. Já em 2004, foram inscritos 17 projetos na Lei, com a captação de R$ 250 mil.

Confira a programação da Caravana em São Gonçalo do Rio Abaixo:

São Gonçalo do Rio Abaixo
Data: 13/08/06 - Domingo
Local: Rua Henriqueta Rubim - Centro

16h - Feira de artesanato

16:30h - Musicircus com Catin Nardi

O palco se transforma em picadeiro, arena das ilusões. Nele, as marionetes da cia O Navegante se encontram com o universo encantador da música e com a magia do circo.
Este é Musicircus, um espetáculo que fascina e surpreende platéias de todas as idades. Personagens como os cuspidores de fogo, o engolidor de facas, o perna-de-pau, os lutadores de sumo e outras grandes atrações se apresentam em uma divertida seqüência de esquetes musicais e números do circo. Músicos populares e figuras lendárias como Tom Jobim e Astor Piazolla também chegam ao mundo dos bonecos para integrar a fantástica trupe do MUSICIRCUS. O famoso Apresentador do Circo, estrela da abertura da novela As Filhas da Mãe, entra no palco para apresentar com eficiência seu circo musical que já participou de inúmeros festivais nacionais e internacionais encantando pela sofisticada manipulação e surpreendendo pela qualidade técnica das personagens.

17:30h - Mostra Local com Banda Dinâmica
Natural de São Gonçalo do Rio Abaixo, a Banda Dinâmica surgiu em 2004. Apesar do pouco tempo de existência vem ocupando um espaço de destaque no mercado musical da cidade e região. Apresenta um repertório variado, que vai passando pelos anos 60, até os dias atuais.

20:30h - Mostra Local com Banda Stygmatha
Natural de São Gonçalo do Rio Abaixo, a Stygmatha surgiu em 2004. Apesar de ser um grupo relativamente novo, o Stygmatha conta com músicos que tem experiências adquiridas em outros grupos musicais que hoje ainda são atuantes. A especialidade do grupo é Pop Rock nacional e interncaional.

21:30h - Apresentação do Grupo Força Vocallis
O Grupo Força Vocallis surgiu em Congonhas, MG, no final dos anos 80. Ao longo de sua rica trajetória de trabalho, seus integrantes já conquistaram mais de 50 premiações em festivais de música no Estado de Minas Gerais. Atualmente, além do próprio repertório, o grupo interpreta composições de autores consagrados da Música Popular Brasileira, buscando, inclusive, inspiração nas batidas do roca, do reggae e da musica regional mineira. Suas apresentações podem ser realizadas também no formato acústico.

Colunista Jayne Resende


O HOMEM E A LEI DA NATUREZA
A natureza é sábia. Sábia abundante e paciente.
Sábia porque traz em si o mistério da vida, da reprodução, da interação perfeita e equilibrada entre seus elementos. Abundante em sua diversidade, em sua riqueza genética, em sua maravilha e em seus encantos. E é paciente. Não conta seus ciclos em horas, minutos e segundos, nem no calendário gregoriano com o qual nos acostumamos a fazer planos, cálculos e contagens.
Sobretudo é generosa, está no mundo acolhendo o homem com sua inteligência, seu significado divino, desbravador, conquistador e insaciável. Às vezes, nesse confronto, o homem extrapola seus poderes e ela cala. Noutras, volta-se, numa autodefesa, e remonta seu império sobre a obra humana, tornando a ocupar seu espaço e sua importância.
No convívio diuturno, a consciência de gerações na utilização dos recursos naturais necessita seguir regras claras que considerem e respeitem a sua disponibilidade e vulnerabilidade.
E assim chegamos ao que as sociedades adotaram como regras de convivência, às práticas que definem padrões e comportamentos, aliadas as sanções aplicáveis para o seu eventual descumprimento: as leis.
Mais uma vez nos valemos das informações da própria natureza para entender como isso se processa. Assim como o filho traz as características genéticas dos pais, as leis refletem as características do tempo/espaço em que são produzidas.
Nesse sentido podemos entender como a Lei de Crimes Ambientais entra no ordenamento jurídico nacional. Se, como já foi dito, a natureza é abundante, no Brasil possuímos números incomparáveis com quaisquer outros países no que se refere à riqueza da biodiversidade, com enfoque amplo na flora, fauna, recursos hídricos e minerais. Os números são todos no superlativo.
Sua utilização, entretanto, vem se processando, a exemplo de países mais desenvolvidos, em níveis que podem alcançar a predação explícita e irremediável, ou a exaustão destes recursos que, embora abundantes, são em sua grande maioria exauríveis. Daí a importância desta Lei.
Condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente passam a ser punida civil, administrativa e criminalmente. Vale dizer: constatada a degradação ambiental, o poluidor, além de ser obrigado a promover a sua recuperação, responde com o pagamento de multas pecuniárias e com processos criminais.
Princípio assegurado no Capítulo do Meio Ambiente da Constituição Federal está agora disciplinado de forma específica e eficaz.
É mais uma ferramenta de cidadania que se coloca a serviço do brasileiro, ao lado do Código de Defesa dos Direitos do Consumidor e do Código Nacional de Trânsito, recentemente aprovado.
Aliás, ao se considerar a importância do Código de Trânsito, pode-se entender a relevância da Lei de Crimes Ambientais. Se o primeiro fixa regras de conduta e sanções aos motoristas, ciclistas e pedestres, que levam à diminuição do número de acidentes e de perda de vidas humanas, fato por si só digno de festejos, a Lei de Crimes Ambientais vai mais longe.
Ao assegurar princípios para manter o meio ambiente ecologicamente equilibrado, ela protege todo e qualquer cidadão. Todos que respiram que bebem água e que se alimentam diariamente. Protege, assim, a sadia qualidade de vida para os cidadãos dessa e das futuras gerações.
E vai ainda mais longe: protege os rios, as matas, o ar, as montanhas, as aves, os animais, os peixes, o planeta!
Afinal, é a Lei da Natureza e, como dissemos, a natureza é sábia.

DE GRÃO EM GRÃO DOIS TERÇOS DA ÁREA DO CERRADO JÁ ESTÃO AFETADOS, MAS AINDA É POSSÍVEL PRESERVAR.
Localizado basicamente no Planalto Central do Brasil e uma pequena porção representada no Sul do Brasil. O cerrado é o segundo maior bioma do País, superado apenas pela Floresta Amazônica. O bioma é caracterizado por tipos específicos de vegetação, como a caatinga, o cerrado entre outros. É cortado por três das maiores bacias hidrográficas da América do Sul, com índices pluviométricos regulares que lhe propiciam biodiversidade. Ocupa uma área superior a 2 milhões de km², cerca de 23% do território brasileiro, abrangendo os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, Piauí, o Distrito Federal, Tocantins e parte dos estados da Bahia, Ceará, Maranhão, São Paulo, Paraná e Rondônia. Ocorre também em outras áreas nos estados de Roraima, Ocorrem também em outras áreas nos estados de Roraima, Pará, Amapá e Amazonas.

“O Cerrado é uma das maravilhas do planeta, uma das maiores biodiversidades”. Boa parte do Cerrado já foi destruída. Apesar de estar presente hoje em nove Estados brasileiros, a maior área de preservação existente fica justamente em Goiás. “Oitenta por cento da área contínua de Cerrado natural está no Nordeste goiano”, em outras regiões, como no Mato Grosso, o bioma já foi destruído para a implantação da cultura de soja.
Atualmente, a região do cerrado contribui com mais de 70% da produção de carne bovina do País (Pecuária de corte no Brasil Central, Corrêa, 1989) e, graças à irrigação e técnicas de correção do solo, é também um importante centro de produção de grãos, principalmente soja, feijão, milho e arroz. Grandes extensões de cerrado são ainda utilizadas na produção de polpa de celulose para a indústria de papel, através do cultivo de várias espécies de Eucalyptus e Pinus, mas ainda como uma atividade secundária.
A conservação dos recursos naturais dos cerrados é representada por diversas categorias de unidades de conservação, de acordo com objetivos específicos: oito parques nacionais, diversos parques estaduais e estações ecológicas, compreendendo cerca de 6,5% da área total de cerrado. Entretanto, esta extensão é ainda insuficiente e mais unidades de conservação precisam ser criadas para proteger a biodiversidade que ainda preserva.

3 de agosto de 2006

Vale Ambiente oferece oficinas para a comunidade

Em 2001, a Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) lançou o projeto Vale Ambiente, com o objetivo de estabelecer planos educativos, visando orientar as ações destinadas à formação ambiental dos seus empregados e das comunidades das áreas de influência dos seus complexos mineradores, em atendimento às determinações legais e aos princípios de responsabilidade socioambiental da empresa.
O Vale Ambiente busca apoiar o desenvolvimento sustentado local, por meio da educação ambiental, que é compreendida como os processos pedagógicos destinados à difusão de conhecimentos sobre o meio ambiente, para a sensibilização e formação de uma consciência capaz de contribuir para mudar o estado de espírito, as atitudes e as ações humanas na construção de um mundo melhor para se viver, agora e no futuro. Essa compreensão exige o envolvimento e o comprometimento dos indivíduos e das comunidades para buscar, elaborar e implementar soluções para os problemas ambientais que afetam a vida.
As ações são desenvolvidas, principalmente, por meio de duas formas de relacionamento: oficinas nos CEAs ou oficinas na comunidade. Em Minas Gerais, a CVRD possui 4 CEAs, na Mina de Alegria, localizado em Mariana; Mina de Fábrica, em Ouro Preto; Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho e Minas de Itabira, em Itabira. O projeto abrange os municípios de Itabira, Santa Maria, Mariana, Ouro Preto, Catas Altas, Barão de Cocais, Santa Bárbara, Belo Vale, Bela Vista de Minas, Rio Piracicaba, São Gonçalo do Rio abaixo, Sabará, Congonhas, Brumadinho, Belo Vale e Mário Campos.
Com a comunidade escolar o Vale Ambiente atua de forma a dar continuidade ao processo de formação em educação ambiental de educandos, educadores, gestores e funcionários de escolas do ensino fundamental, em parceria com as Prefeituras, visando contribuir para a introdução e consolidação da educação ambiental nos municípios.
Em 2006, mensalmente, o projeto Vale Ambiente oferece oficinas para as comunidades onde há atuação da CVRD. O objetivo é desenvolver ações de educação ambiental, integrar professores, alunos e comunidades em torno das questões ambientais locais e disseminar conceitos e práticas destinadas a promover o desenvolvimento sustentável.
Confira a programação nas variadas localidades, no mês de agosto:
Santa Barbára (Comunidade Escolar)
11/08 - sexta-feira - Gerenciameto Ecológico
· Oficina Gerenciamente Ecológico: Tem como objetivo ampliar a capacitação operacional aplicada ao Gerenciamento Ecológico, especialmente em relação à implementação de melhorias ambientais e à redução do consumo - melhor aproveitamento de água, energia, gás e alimentos usados na merenda escolar.
Sabará (Comunidade Escolar)
11/08 – sexta-feira - Consumo Sustentável
Local: antiga Casa de Cadeia
· Oficina Consumo Sustentável: Tem como objetivo promover uma melhor compreensão do consumo como instrumento de conservação e melhoria do meio ambiente em relação aos aspectos econômicos, estéticos, sanitários e culturais. A oficina engloba atividades práticas e teóricas.
Brumadinho (Comunidade Escolar)
19/08 - sábado - Consciência Corporal e Vocal
· Oficina Consciência Corporal e Vocal: A oficina promove a consciência corporal e vocal dos participantes, como parte do processo de ampliação da percepção do educador sobre o ambiente. Aprender a cuidar do corpo e da voz como instrumento de mediação da relação pedagógica. É o primeiro passo para interagirmos e cuidarmos do ambiente.
Ouro Preto (Comunidade Escolar)
23/08 - quarta-feira - Práticas Pedagógicas
· Oficina Práticas Pedagógicas: A oficina tem como objetivo estimular o uso de atividades lúdicas processo de ensino-aprendizagem de educação ambiental, visando tornar o processo educativo mais rico e dinâmico, estimulando o estudante a construir suas novas descobertas, desenvolver e enriquecer sua personalidade.
Congonhas (Comunidade Escolar)
26/08 - sábado - Práticas Pedagógicas
· Oficina Práticas Pedagógicas: A oficina tem como objetivo estimular o uso de atividades lúdicas processo de ensino-aprendizagem de educação ambiental, visando tornar o processo educativo mais rico e dinâmico, estimulando o estudante a construir suas novas descobertas, desenvolver e enriquecer sua personalidade.
Antônio Pereira (Comunidade Escolar)
31/08 e 1/09 - quinta e sexta-feira - Teatro
· Oficina de Teatro: Tem como objetivo promover a valorização do teatro como estratégia de otimização da qualidade do ensino-aprendizagem em escolas de ensino fundamental, para aplicação na educação ambiental e na valorização das pessoas e dos valores humanos essenciais.
Além das oficinas nas escolas e comunidades, o Programa Vale Ambiente desenvolve outras atividades, principalmente com estudantes do ensino fundamental por meio de visitas (trilhas interpretativas e palestras) aos CEAs da Mina de Córrego do Feijão e Minas de Itabira, bem como Extensão Ambiental nas Escolas. Em ambas, as equipes de monitores dos CEAs promovem ações e reflexões destinadas a promover a visão sistêmica de meio ambiente e o papel das pessoas e grupos sociais na construção do futuro.

Investimentos socioambientais marcam o segundo trimestre em Minas Gerais

Em Minas Gerais, uma das principais conquistas da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) em responsabilidade social foi a inauguração, em junho, da Escola de Informática e Cidadania (EIC-Vale) no município de Belo Vale, a primeira em uma zona rural do estado. No distrito agropecuário conhecido como Noiva do Cordeiro, a 40 quilômetros da mina de Fábrica, próximo a Congonhas, a população estimada em 240 moradores mais do que aprender a utilizar o computador, tem a oportunidade de descobrir e entender os reais conceitos de cidadania.
A escola de informática de Belo Vale integra o Programa Vale Informática – realizado pela Fundação Vale do Rio Doce (FVRD) em parceria com o comitê para Democratização da Informática (CDI) e organizações locais. O programa promove a inclusão digital de moradores de baixa renda, de forma a permitir maior qualificação profissional, empreendedorismo, acesso à informação, produção do conhecimento, participação em redes e exercício da cidadania, utilizando a informática como ferramenta.
Na prática, os alunos são estimulados por meio do computador a desenvolverem projetos que busquem a geração de renda e a melhoria do dia-a-dia de sua comunidade. Em Noiva do Cordeiro, os alunos aprendem a definir custeio, fazer planilhas, saber o que foi plantado, quanto foi colhido, o que se vendeu, qual foi o lucro ou o prejuízo.
Em Minas Gerais, o Programa formou 912 alunos em 2005, e está presente em Aimorés, Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Governador Valadares, Itabira, Nova Era, Ouro Preto, Passabem, Rio Piracicaba, Sabará e Santa Luzia.
É missão da Vale contribuir para este desenvolvimento, buscando soluções eficientes para as demandas sociais. Para isso, a empresa identifica o potencial de cada uma dessas localidades e investe em projetos para oferecer às pessoas verdadeiras oportunidades de vida.
Nesse sentido, são diversos os projetos voltados para a educação, economia local, meio ambiente e cultura, que contribuem para o desenvolvimento sustentável de cada região. Entre eles, merecem destaque o Cidade Vale Mais, Vale Alfabetizar, Escola que Vale e Voluntários Vale.

Geração de empregos
Na área produtiva, a CVRD, suas controladas e coligadas encerraram o segundo trimestre do ano com cerca de 39 mil postos de trabalho, entre empregos próprios e contratados. O Sistema Sul da Vale abriu 745 novas vagas e contabilizou 22.951 empregos (9.254 próprios e 13.697 contratados).
Na Minerações Brasileira Reunidas (MBR), empresa controlada pela Vale, houve também expansão no emprego: o número de postos saltou de 5.776, (próprios e contratados) no segundo trimestre de 2005, para 7.037 no segundo trimestre de 2006, o que representa um aumento de 21,8%.

Empregos no Segundo Trimestre
PRÓPRIOS CONTRATADOS TOTAL
CVRD 9.254 13.697 22.951
Samarco 1.348 1.666 3.014
MBR 3.915 3.122 7.037
FCA 3.677 2.349 6.026

Investimentos
Grandes investimentos em Minas Gerais vêm marcando a atuação da empresa em suas diversas áreas de negócios no estado. Entre os projetos de expansão e capacidade da produção de minério de ferro em andamento, estão a Mina de Brucutu, em São Gonçalo do Rio Abaixo; Itabira; Fazendão, no Complexo de Mariana e Fábrica, no Complexo das Minas da Região Oeste.
Com inauguração prevista ainda este ano, a primeira fase do projeto Brucutu, maior empreendimento da CVRD no estado, adicionará à capacidade atual de produção 12 milhões de toneladas/ano. Com a segunda fase do empreendimento, prevista para o primeiro trimestre de 2007, a capacidade de produção total em Brucutu deverá atingir 24 milhões de toneladas anuais.
Em função de todos estes projetos em andamento, os investimentos totais da Vale tiveram grande salto no segundo trimestre de 2005. Apenas em projetos ambientais os desembolsos passaram de US$ 531 mil, no segundo trimestre de 2005, para US$ 13,3 milhões, em igual período deste ano.
Já as empresas controladas e coligadas da Vale, investiram juntas cerca de US$ 4,2 milhões em projetos sociais e ambientais: US$ 2,6 milhões na MBR, US$ 1,1 milhão na Samarco e US$ 404,2 mil na FCA.
A previsão de investimento social para 2006, em Minas Gerais, é de cerca de R$ 156, 5 milhões – sendo R$ 139 milhões da CVRD e R$ 17,4 milhões da FVRD.

Produção
A produção de minério de ferro da CVRD chegou a 56,5 milhões de toneladas no primeiro semestre deste ano, 6,8 % a mais que em igual período do ano passado. Deste volume, 29 milhões de toneladas foram produzidas no 2T06 .
Na MBR, a produção atingiu a marca de 30,8 milhões de toneladas nos primeiros seis meses deste ano, contra 24,1 milhões de toneladas no primeiro semestre do ano passado, com crescimento de 27,5%.
Juntas, CVRD, controladas e coligada produziram, de janeiro a junho último, 94 milhões de toneladas de minério de ferro. No igual período do ano passado, a produção total foi de 83,7 milhões de toneladas, com um incremento de 12,9%.
Na área de logística, a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) contabilizou volume de carga transportada equivalente a 7 milhões de toneladas, no segundo trimestre de 2006, o que significa aumento de cerca de 800 mil toneladas com relação ao primeiro trimestre do ano.
A Vale ainda mantém no estado importantes investimentos na área de geração de energia, com seis usinas hidrelétricas já em operação: Igarapava, Porto Estrela, Funil, Risoleta Neves (Candonga), Capim Branco I e Hidrelétrica Eliezer Batista (Aimorés).

1 de agosto de 2006

Duas equipes de São Gonçalo fizeram a final da 5ª Copa Brahma no Real E. C.

A final da 5ª Copa Brahma de Futsal do 21º Torneio de Férias do Real Esporte Clube foi decidida entre duas equipes da cidade de São Gonçalo, formada por atletas de Monlevade, e a equipe do São Gonçalo/A Libido Modas.
A equipe de São Gonçalo foi campeã ao derrotar a equipe de São Gonçalo/Alibido Modas por 5 x 2, com três gols de Maroquinha, Zezinho e Kelvinho, enquanto Marcos Otávio marcou os gols de São Gonçalo/A Libido Modas.
A final foi arbitrada por Anilton Rodrigues e Dely Formiga, com mesa e cronometragem de Charles Aguiar. O goleiro Marlon, vereador de São Gonçalo/A Libido, foi o grande responsável por esta grande conquista das equipes da cidade, contando com o apoio do prefeito de São Gonçalo, Raimundo Nonato Barcelos (Nozinho)
Na categoria Chupetão, a campeã foi a equipe da Point Car e, na Chupetinha o título ficou com a equipe da Cosmético Beleza Pura e vice-campeã foi o Monlevade Cereais.